segunda-feira, 11 de julho de 2016

PORTUGAL - CAMPEÃO EUROPEU de Futebol 2016


VIVA PORTUGAL!!!


Ficará nos anais da História e Cultura portuguesas o dia 10 de Julho de 2016.
Estamos todos felizes. Todos os que amam este País, honram esta Bandeira, hoje a esvoaçar no topo mais alto das adriças internacionais e evocam na sua memória o Hino Nacional que começa por “Heróis do mar” mas pode bem transformar a frase em “Heróis da Europa.
Há duas vertentes que não desejo deixar de assinalar no comportamento dos dois antagonistas. Do lado português, a transparência, a correção, a dignidade com que os jogadores defrontaram o adversário, aparando-lhe todos golpes e do lado francês, os ardis, a violência mesquinha, as “cargas”, o sofrimento infligido por estrategas que em nada honraram nem a sua Pátria nem o desporto em que se filiaram.
As “lágrimas de sangue” que ameaçaram provocar transformaram-se em “lágrimas de felicidade”. Os “nojentos” com que nos denominaram, estimulara-nos para a vitória, para um Final que será premiado coma Ordem de Mérito aos vencedores, cujo brilhante, embora desgastante desempenho, possui o mesmo fascínio que a Taça justamente conquistada.
Deplorável também foi o não “saber perder” da equipa francesa. Pelas suas atitudes pós-jogo, revelaram a baixeza dos seus sentimentos.
E como nada acontece por acaso e na vida nos é permitido conhecer os factos através de sinais, a maior parte das vezes despercebidos, exaltemos a imagem desse insecto belo e delicado, símbolo do Bem, que volteava no campo traduzindo mensagens de esperança: a Borboleta. Lembremos onde ela pousou; a fronte que acariciou.
O Portugal que somos todos nós, está de Parabéns.
Saudemos os Heróis!
Cantemos, gravando na alma, com o orgulho de sermos Portugueses:

“…nobre povo,
nação valente e imortal,
levantai hoje de novo,
o esplendor de Portugal”…