quinta-feira, 8 de março de 2018

ENCONTRO de CANICHES XVI


Sheik chegou deveras preocupado. Se pegassem com ele, disparataria.
- NÃO RESOLVES NADA ASSIM. Desabafa!
O conselho de Rissol era de seguir.
- Não desisto de pensar que a sociedade actual só viver com um objectivo: o pronto a comer e o pronto a vestir.
- Para quê fazer planos se todos de goram? - lastimou-se Maruja.
- Nem todos…
- Em que planeta é que vives? – teimou ela.
Jimy latiu, indo em socorro da amiga.
- Se todo o projecto depender de ti e tiveres dinheiro para ir escorrendo nos bolsos de certos interesses… ai, aí consegues alguma coisa.
- Concordo. Fora disso, a carga burocrática ainda é muito pesada.
- Alem disso, sem garantias, não vais a lado nenhum. Não respiras num conto de fadas.
E Pipoca fungou em ar de desprezo.
- O que importa é ter um bom emprego e com sorte aguentá-lo.
- Jimy! E os outros? Os desempregados? Os sub-contratados? Todos têm direito a comer e a bens de primeira necessidade, não?-
Um pouco sardónico, Rissol lançou a pergunta:
- Não esqueces o rendimento de reinserção social, pois não?
E ironicamente:
- Dá para pagar uma renda de casa, os consumos de água e luz, comprar uma peça de agasalho, um par de sapatos… comer só sopa ou caldo, isto sem falar de agregados com filhos e doentes que não precisem de vitaminas nem de antibióticos, que a comparticipação, viste-a por um óculo.
Jimy endireita-se, sacode o lombo e segreda:
- Deixem lá que no meio dos males que nos afligem, ao menos temos liberdade de expressão.
- Olha-me este a fiar-se na virgem!