quinta-feira, 8 de março de 2018

Encontro de Caniches XV


Sheik estava sorumbático. Perguntaram-lhe o motivo da sua sisudez.
- Isto é preocupante. Vejam só. Existem para aí umas entidades fantasmas, com designações que nunca se ouviram, a entrevistar A e B, sem respeito pelo tempo que fazem desperdiçar.
- Só respondes se quiseres. – atalhou Jimy.
- E qual a utilidade? Avaliar a opinião dos portugueses, o seu grau de cultura e de interesse, suponho. – disse Maruja.
Pipoca, sorridente, mordiscou a orelha e espreguiçou-se.
- Adoro responder a questionários. Mas diz. Que perguntas te fizeram?
- Diversas e inúmeras, - respondeu Sheik - até quiseram saber o que eu pensava do actual presidente americano.
Gargalhando, Rissol comentou:
- Há os notáveis e há os notórios.
- Ele é uma mistura disso. Ironicamente falando, é divertido.
- Uma nação deve ser governada por homens…
- Por homens transparentes. - Este Jimy deve ser um sonhador.
- O povo é soberano. Tem que fazer escolhas inteligentes.
- A maior parte das vezes fia-se nas aparências. Discorda mas em última análise, até se abstém.
- Mas voltando à tua entrevista… - lembrou Pipoca.
- Olha, tive oportunidade de falar de tudo…
- Tudo o quê?
- Secas, desordenamento florestal, desemprego e sub-contratados, hospitais, saúde, ensino, reformas, reinserção social.
- Para ti, está tudo torto então.
- Eu acho que estão tentando endireitar.
- Não, Rissol. Quem torto nasceu… O que importa é plantar raízes, lançar na terra sementes novas. Não remendar pano velho com tecido novo.
- Apoiado! – latiu Jimy.
Os outros bocejaram.