domingo, 27 de outubro de 2013

ALIANÇA


Tu, que deténs a minha mão aberta;
tu, que refletes tempo de energia,
vem! Vamos ambos pela estrada certa,
donos de um sonho pleno de harmonia.


Grinaldas tecerei na tua fronte;
palavras me dirás em mel de sedas;
sobre os teus ombros, erguerei a ponte
e a luz que brilhará nas tuas quedas.


A ti, a quem disputam bem e mal,
tiro da treva e, náufrago do lodo,
entrego a minha paz de catedral.


Modelo o espaço, clarifico o modo
de seres na vida arauto universal,
de um todo inteiro na fração de um TODO.