segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Reflexão VII


Reflexão VII


O Propósito de Deus ou o Meu? – Oswwald Chambers (1874-1917)


Ao ler e reler este texto de Oswald Chambers, designado pelo título acima, detive-me a pensar e a pergunta que me sugere a sua opinião, é a de que tive ou terei alguma vez a preocupação ou a curiosidade de saber que “propósito tinha Deus para mim. Na filosofia cristã e nos trechos bíblicos, infere-se que Deus tem um propósito para cada um de nós. Mas daí até supor que o objetivo divino é o meu sucesso, nunca tal me passou pela mente.
Creio, sim, que ele estabeleceu uma ordem baseada nos sãos princípios da sua Lei e no meu livre arbítrio, que me faculta o direito de escolher o que é mais salutar para mim, de acordo com a sua vontade.
Porém, as nossas escolhas não são coerentes com o “propósito” de Deus. E eu deixo de ser o seu “alvo”.
Se Deus tem um “propósito” para cada pessoa, esta não sabe qual é, salvo se obedecer aos seus mandamentos.
Com a finalidade de ser um pouco feliz na terra, liberta dos seus próprios caprichos, só tem que aproximar a sua consciência da vontade de Deus.
A Bíblia diz que Deus criou o homem “à sua imagem e semelhança”. O meu raciocínio leva-me a concluir que somos, no limiar da nossa inocência, pequenos deuses em embrião.
Deus disse: “Os meus caminhos não são os vossos caminhos” e “os meus pensamentos não são os vossos pensamentos”. Mas também disse: “O que eu sei, não o sabes tu agora”.
Um dia, saberemos. E nos preocuparemos com o “propósito” de Deus a nosso respeito.
Esse conhecimento adquire-se na perfeição que conseguirmos do nosso ser, fundamentados no Bem e no Amor, que nos trazem a verdadeira Paz. O individuo em paz consigo mesmo torna-se extraordinariamente lúcido. Deus abre-lhe os horizontes para que veja.
Não sei qual é o “propósito “ de Deus a meu respeito.
Também não sei quando me deixo conduzir por ele. Sei melhor quando aponto uma meta e lhe peço para que me ajude a consegui-la. É este o “meu propósito”?
Possivelmente, se atingir o “sucesso”, Deus assim o quis e realizou “o seu propósito” em mim. Ele deixou que eu triunfasse. E isso só foi possível, obedecendo aos seus princípios, na certeza plena de que se não consigo o que tanto anseio, é porque ele guarda algo melhor para mim.
Oswaldo Chambers pôs em alternativa “o propósito de Deus ou o meu”. Se me deixar conduzir pelas palavras do Evangelho, eu buscarei o sucesso de acordo com as prerrogativas das minhas necessidades, pois só ele sabe quais são.
Talvez um dia, o propósito humano aja de acordo com o propósito de Deus e atinja finalmente o que vem anunciado nas Escrituras:
“O Senhor é o meu Pastor, nada me falta”.