sábado, 21 de dezembro de 2013

NATAL 2013 - MENSAGEM PARA TODOS OS POVOS


Se o Natal se comemora desde que o Menino nasceu é porque algum reflexo ficou na alma das pessoas. Pena é que signifique tréguas nos conflitos; esquecimento momentâneo de ofensas; solidariedade e partilha momentâneas, risos e sorrisos, festa e união familiar, compaixão pelos que nada têm.
Num escasso tempo dentro de um ano, entre 25 de Dezembro e 1 de Janeiro seguinte, alguma população do globo movimenta-se no sentido heróico das despesas extraordinárias, alegrando-se e alegrando os outros.
Mas o Natal não é para todos. Aqueles que perderam entes queridos, que sofreram acidentes, que vivem na solidão, que não esperam nada do futuro, esses não recebem o Natal como uma benesse mas como uma particularidade comum.
O Natal não melhora as suas vidas. É apenas uma panaceia, um paliativo e, por vezes, acentua mais o calibre dos problemas.
Apesar de tudo, eu desejo fazer chegar ao Lar de cada um, ao coração daquele que sofre, à solidão daquele que estagnou no vazio, ao desesperado, ao inválido, ao incrédulo na fé, que a vida não é tão radical assim mas um mistério que decide o destino do homem. O Natal quer dizer isso mesmo: um mistério de Amor, Paz e compreensão recíproca.
O Menino nasceu. Que não seja em vão o seu nascimento.

A todos, familiares, amigos, conhecidos e leitores, desejo um Natal radioso, pleno de bênçãos e vitórias.
A todas as nações, que de Belém se irradie a Luz da Sabedoria e que permita aos governos e sistemas políticos o equilíbrio e a igualdade de direitos.
Boas Festas!